13/11/2015

Conhecimento a partir de falsidades?


Tipicamente sustenta-se que a verdade é uma condição necessária, embora não suficiente, para o conhecimento. Daí o conhecimento ser factivo, pois só se podem conhecer factos ou verdades. Além disso, tipicamente alega-se que, em inferências dedutivas, só se pode obter conhecimento a partir de verdades. Assim, costuma-se aceitar sem problemas o seguinte princípio: necessariamente, se (1) um sujeito S acredita numa proposição q apenas com base numa dedução válida a partir de uma proposição p, e (2) S sabe q, então p é verdadeira.

No entanto, existem alguns contra-exemplos a este princípio intuitivamente plausível que procuram mostrar que é possível haver conhecimento de uma conclusão q a partir de uma premissa falsa p que implique q. Apresento um desses contra-exemplos, adaptado de Warfield (no seu artigo "Knowledge from falsehood", p. 408, de 2005): Suponha-se que olho para o meu relógio e, com base disso, passo a acreditar que são 14h58m. Daqui dedutivamente infiro que não estou atrasado para a minha conferência das 17h00m. Ora, intuitivamente esta é uma conclusão de que tenho conhecimento mesmo se na realidade são 14h55m e não 14h58m. Portanto, de uma premissa falsa posso dedutivamente obter conhecimento. O que dizer deste contra-exemplo?

Casos como este parecem mostrar que, num argumento dedutivo, o conhecimento de uma conclusão pode tolerar erro ou falsidade na premissa, na medida em que o erro ou falsidade não seja relevante ou suficientemente grande para ameaçar a verdade da conclusão. Assim, se o erro envolvido ao acreditar na premissa falsa é de pequena magnitude, a inferência dedutiva baseada na falsa premissa pode ainda assim fornecer uma via estável para a verdade da conclusão; porém, se o erro ou falsidade em questão for significativo, tal falsidade comprometerá a verdade da conclusão e, por conseguinte, não haverá conhecimento da conclusão. Portanto, respondendo à questão do título desde post, sim parece que é possível que se tenha conhecimento a partir de falsidades (desde que a falsidade não seja "grande" ou relevante).


Gostou deste artigo? Receba outros por e-mail, assine a nossa newsletter. Digite aqui o seu e-mail:

Este artigo, com comentários, encontra-se no seguinte tema:

Escreva aqui os seus comentários ao artigo "Conhecimento a partir de falsidades?":

5 Domingos Faria: Conhecimento a partir de falsidades? Tipicamente sustenta-se que a verdade é uma condição necessária, embora não suficiente, para o conhecimento. Daí o conhecimento ser factivo...
< >