07/08/2015

Irracionalidade do Ateísmo


O ateísmo é a tese metafísica de que Deus não existe nem qualquer outra divindade ou entidade sobrenatural. Normalmente os ateus alegam que o ateísmo é uma posição racional, talvez por causa do problema indiciário do mal [ver aqui], ou por causa do problema da ocultação divina [ver aqui], etc. Alguns ateus até acusam os teístas de serem completamente irracionais, alegando que a racionalidade ou as melhores explicações implicam ateísmo. Mas vale a pena analisar cuidadosamente e questionar tais suposições: será que o ateísmo é efectivamente uma crença racional? Baseando-me nas minhas críticas ao naturalismo metafísico [ver aqui], elaborei um pequeno esboço de argumento em que se procura concluir que o ateísmo é afinal autoderrotante e, por isso, irracional. O argumento que proponho, numa versão bastante simples e em rascunho, é o seguinte:

(1) Dado o ateísmo, praticamente todos os nossas antepassados que sobreviveram, e por isso que possuíam um comportamento adaptativo, tiveram faculdades que produziam geralmente crenças metafísicas falsas. [Isto porque as crenças metafísicas da maioria dos nossos antepassados nas sociedades antigas faziam referência a seres ou eventos sobrenaturais que dado o ateísmo são crenças falsas].
(2) Se 1 é verdadeira, então, dado o ateísmo, nas sociedades antigas as pessoas geralmente tinham faculdades cognitivas que não eram fiáveis com respeito a crenças metafísicas.
(3) Mas as nossas faculdades cognitivas não são significativamente diferentes comparativamente com as dos nossos antepassados.
(4) Assim, dado o ateísmo, geralmente as nossas faculdades cognitivas com respeito a crenças metafísicas não são fiáveis. [De 1 a 3]
(5) Se 4 é o caso, então quem aceita o ateísmo tem um anulador para a crença de que as suas faculdades são fiáveis com respeito a crenças metafísicas.
(6) Se 5 é o caso, então quem aceita o ateísmo tem um anulador para cada uma das suas crenças metafísicas.
(7) O ateísmo é uma crença metafísica.
(8) Portanto, quem aceita o ateísmo tem um anulador para o ateísmo. [De 4 a 7]
(9) Logo, o ateísmo é autoderrotante e, por isso, irracional. [De 8]

Além disso, se este meu argumento for procedente, os ateus não podem utilizar racionalmente o argumento indiciário do mal ou o argumento da ocultação divina como tentativas de mostrar que Deus não existe e como forma de advogar uma suposta racionalidade do ateísmo. Pois, se o ateu tem um anulador para qualquer uma das suas crenças metafísicas, então tem igualmente um anulador para esses argumentos ateológicos uma vez que tais argumentos têm pelo menos uma premissa que expressa uma crença metafísica. Portanto, não seria racional o ateu recorrer a tais argumentos.

Este argumento é válido e à primeira vista também parece sólido. Assim, parece que o ateísmo é irracional. Porém, quem não quiser aceitar a conclusão (9) terá de mostrar e explicar qual das premissas é falsa. Para um argumento mais sofisticado e melhor fundamentado a favor desta mesma tese, com resposta a algumas objecções, recomendo a leitura do meu recente artigo "Proposta de argumento contra o naturalismo metafísico". Clique aqui para ler esse artigo.


Gostou deste artigo? Receba outros por e-mail, assine a nossa newsletter. Digite aqui o seu e-mail:

Este artigo, com comentários, encontra-se no seguinte tema: ,

Escreva aqui os seus comentários ao artigo "Irracionalidade do Ateísmo":

5 Domingos Faria: Irracionalidade do Ateísmo O ateísmo é a tese metafísica de que Deus não existe nem qualquer outra divindade ou entidade sobrenatural. Normalmente os ateus alegam que...
< >