25/06/2012

Temos a obrigação moral de ajudar quem vive na pobreza extrema?



Peter Singer no livro “A vida que podemos salvar” defende que temos uma obrigação moral de ajudar quem se encontra em pobreza extrema. Um dos argumentos que Singer utiliza para fundamentar a sua posição é o seguinte:

P1 – O sofrimento e a morte por falta de alimento, abrigo e cuidados médicos são maus.
P2 – Se está em seu poder impedir que algo mau aconteça, sem sacrificar nada de importância semelhante, é errado não o fazer.
P3 – Ao contribuir para organizações humanitárias pode prevenir o sofrimento e a morte por falta de alimento, abrigo e cuidados médicos, sem sacrificar nada de importância semelhante.
C – Logo, se não fizer donativos a organizações humanitárias está a fazer algo de errado.
Será este um argumento sólido? Será esta ideia de Singer plausível?






Gostou deste artigo? Receba outros por e-mail, assine a nossa newsletter. Digite aqui o seu e-mail:

Este artigo, com comentários, encontra-se no seguinte tema:

Escreva aqui os seus comentários ao artigo "Temos a obrigação moral de ajudar quem vive na pobreza extrema?":

5 Domingos Faria: Temos a obrigação moral de ajudar quem vive na pobreza extrema? Peter Singer no livro “ A vida que podemos salvar ” defende que temos uma obrigação moral de ajudar...
< >