27/09/2011

É da discussão que nasce a luz




"De acordo com J. S. Mill, nenhuma questão, moral ou empírica, pode ser resolvida em absoluto, o que nos obriga a admitir que as nossas respostas deverão ser temporárias, pelo que temos de aceitar a sua revisão. A verdade, ou mais correctamente, a «maior» verdade - uma vez que, segundo ele, a Verdade nunca poderá ser atingida - surge do conflito entre as opiniões falsas e as verdadeiras (ou, seguindo-o, as mais falsas e as mais verdadeiras). Isto leva-o a defender que nunca se deve suprimir uma opinião, por mais chocante que seja, porque, se o fizermos, nunca chegaremos à mais justa. Mais do que noutros campos, é na moral que se torna necessário adoptar uma atitude humilde. Se quisermos chegar a uma conclusão, teremos de aceitar debater com todos os opositores, mesmo com aqueles que, por serem fanáticos, mais repulsa nos causam. É da discussão que nasce a luz".

Fonte:
Maria Filomena Mónica (2011) A Morte. Lisboa: FFMS, p. 80.


Gostou deste artigo? Receba outros por e-mail, assine a nossa newsletter. Digite aqui o seu e-mail:

Este artigo, com comentários, encontra-se no seguinte tema: ,

Escreva aqui os seus comentários ao artigo "É da discussão que nasce a luz":

5 Domingos Faria: É da discussão que nasce a luz
< >