03/05/2009

Doce Luz



Quem és tu, doce luz, que me inunda
E ilumina a noite do meu coração?
Tu me guias com a tua mão maternal.
Se me deixas, não poderei avançar mais,
Nem sequer um único passo.
És o espaço que envolve todo o meu ser
E no qual tu te ocultas.
Se me abandonas, caio no abismo do nada,
De onde me chamaste à vida.
Estás mais próximo de mim do que eu próprio,
Mais íntimo que o meu próprio íntimo.
E, contudo, ninguém te pode tocar nem ouvir.
E nenhum nome te poderá aprisionar:
Espírito – Santo – Eterno – Amor.

Edite Stein


Gostou deste artigo? Receba outros por e-mail, assine a nossa newsletter. Digite aqui o seu e-mail:

Este artigo, com comentários, encontra-se no seguinte tema:
5 Domingos Faria: Doce Luz Quem és tu, doce luz, que me inunda E ilumina a noite do meu coração? Tu me guias com a tua mão mat...
< >