13/10/2008

Jornada Fé e Ciência – O avanço da ciência e o recuo de Deus


      O Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Faculdade de Filosofia de Braga da Universidade Católica Portuguesa vai realizar no próximo dia 18 de Outubro um 'Jornada Fé e Ciência', subordinada ao tema "O avanço da ciência e o recuo de Deus: fronteiras do conhecimento".

      Fé e Ciência: uma tensão actual

     Os recentes avanços e êxitos da ciência, bem como a sua omnipresença no dia-a-dia das sociedades contemporâneas – onde as novas tecnologias vão introduzindo novos hábitos e estilos de vida, novas formas de comunicação, de pensamento e de aquisição de conhecimentos, novas concepções da economia, da arte, da ética, etc. –, parecem desafiar as concepções religiosas estabelecidas no passado e, nomeadamente, a concepção cristã de Deus. Perante este quadro cultural, no qual a ciência invade cada vez mais os diversos âmbitos da experiência e do pensamento humanos, especialmente em áreas que no passado eram reservadas à filosofia e à teologia, a Deus não parece restar outra alternativa senão a da perda do direito de cidadania e a consequente retirada para o baú das velharias, porque sobra e está a mais. O conhecimento científico permitirá, finalmente, desterrar a "ilusão de Deus", bem como as sombras da magia e do mistério que, no passado, envolveram o conhecimento do mundo e de nós mesmos, aumentaram o ópio do povo e impediram o desenvolvimento da sociedade? Questões para debaterPara quê Deus, se já temos ciência? A ciência tem razões que tornam a fé em Deus obsoleta? A crescente extensão da esfera da explicação científica a domínios que outrora pertenciam ao âmbito da teologia e das "humanidades" implica o abandono definitivo da hipótese de Deus? A ciência dá respostas a todas as perguntas sobre o mundo que nos rodeia e sobre o lugar que ocupamos nele? A explicação científica pode abranger todos os âmbitos da experiência humana no mundo? Toda a argumentação não científica é irracional? A ciência esgota o campo da racionalidade e do pensamento crítico? Há limites ao poder explicativo da ciência? A explicação teológica é criticamente fundamentada ou assenta em dogmas irracionais? Que possibilidades para um encontro entre ciência e fé em Deus: conflito intransponível? Inimizade irreconciliável? Independência? Diálogo? Integração? Contributos mútuos? A fé em Deus traz benefícios para as sociedades?

     Programa

      O programa inclui as quatro seguintes intervenções: "Possibilidades e limites do conhecimento científico" (António Fernández-Rañada, físico, Univ. Complutense de Madrid); "Possibilidades e limites da racionalidade e da argumentação crítica" (Desidério Murcho, filósofo, Univ. Federal de Ouro Preto, Brasil); "A hipótese de Deus perante a Ciência" (Ludwig Krippahl, bioquímico, Univ. Nova de Lisboa); "O diálogo Ciência-Fé na cultura actual" (Agustín Udías, físico, Univ. Complutense de Madrid). Os debates serão moderados por António Leite Videira (físico, Univ. de Évora) e Álvaro Balsas (físico e filósofo, Fac. Fil. Braga) 

     Haverá ainda lugar para sessões paralelas.



Gostou deste artigo? Receba outros por e-mail, assine a nossa newsletter. Digite aqui o seu e-mail:

Este artigo, com comentários, encontra-se no seguinte tema:
5 Domingos Faria: Jornada Fé e Ciência – O avanço da ciência e o recuo de Deus        O Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Faculdade de Filosofia de Braga da Universidade Católica Portuguesa vai realizar no...
< >